Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/08/2017

Brasília, 02 de agosto de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados financeiros operam ligeiramente no terreno negativo por conta de alguns balanços ruins de empresas europeias. Já as commodities operam de forma apática, com destaque para a elevação dos estoques de petróleo medido pela American Petroleum Institute (API) divulgado na tarde de terça-feira. Na agenda de indicadores, os players monitorarão dados do mercado de trabalho privado dos EUA com expectativa de criação de 185 mil empregos, acima do resultado de junho (158mil).

Interno: a agenda de indicadores esvaziada redireciona novamente as atenções para o cenário político, onde será acompanhado a votação da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, no plenário da Câmara. O mercado espera que a denúncia seja arquivada, mas observará se a votação será mais ou menos expressiva de forma a sinalizar a viabilidade ou não do andamento da reforma da Previdência.

Bolsa: sem números relevantes da economia, investidores estão com as atenções voltadas para a Câmara dos Deputados por conta da votação da denúncia apresentada pela PGR contra o presidente Michel Temer. Os agentes esperam que ocorra a votação hoje além de observar o placar. Uma votação com quórum pode sinalizar a viabilidade ou não do andamento das pautas econômicas. Por ora, o Ibovespa deve trabalhar com volatilidade.
Juros: a volta das preocupações com o ambiente político tende a deixar os investidores locais operando na estabilidade com os prêmios ao longo da estrutura à termo de juros trabalhando perto dos níveis de ontem. No momento, as expectativas são de que o presidente Michel Temer continue no cargo.
Dolar: depois de quatro altas seguidas e sob a tensão política no Congresso, os investidores locais estão em compasso de espera pela votação no plenário da Câmara, que precisa da confirmação de presença de 342 deputados. Ademais, o fortalecimento da divisa norte-americana frente as moedas emergentes pode impor rodada de depreciação do real.

Fechamento dos mercados 01/08/2017

Ibovespa: a bolsa fechou ontem aos 66.516 pontos com queda de 0,9%, interrompendo a sequência de quatro pregões consecutivos de alta.

Juros futuros: a estrutura à termo de juros fechou em baixa influenciada pela ata do Copom que ratificou perspectiva do ciclo de queda da taxa Selic.

Dólar: a taxa de câmbio fechou ontem na estabilidade cotado a R$ 3,1264/US$ diante da retração do petróleo.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.