Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/07/2019

Brasília, 02 de julho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os negócios começam contidos e com investidores internacionais operando em tom cauteloso diante das incertezas sobre o tema comercial entre EUA e China. O próprio governo norte-americano propôs tarifas adicionais sobre União Europeia, no caso envolvendo subsídios à Airbus. No momento, bolsas europeias operam com sinais mistos e futuros de bolsas de Nova Iorque caem. As commodities e Petróleo caem, enquanto o dólar trabalha com volatilidade ante as moedas externas.

Interno: À espera da leitura do texto da reforma da Previdência previsto para o início da tarde geram movimento de precaução nos investidores domésticos. Ruídos na fase final da tramitação ampliaram os temores de atrasos adicionais. Isso pode atrasar a aprovação da proposta de alteração das regras de aposentadoria antes do recesso da Câmara. No calendário, a previsão de queda marginal da produção industrial de maio será o destaque.

Bolsa: A intrincada negociação comercial entre americanos e chineses e desaceleração da economia mundial associa-se as incertezas com a tramitação da reforma da Previdência para direcionar para baixo o Ibovespa no pregão regular.
Juros: A volatilidade do dólar ante as moedas externas (gera pressão na inflação no curto prazo) e dúvidas em relação ao avanço da reforma da Previdência tendem a colocar os juros futuros na trajetória de alta (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura internacional adversa e indefinições com o avanço na tramitação da reforma da Previdência devem direcionar a alta do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.