Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/06/2017

Brasília, 02 de junho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais sustetam o bom humor na abertura, após os índices futuros em Wall Street renovarem os picos históricos ontem diante dos números de emprego do setor privado dos EUA. Para hoje, os dados do mercado de trabalho (Payroll) serão o destaque com a perspectiva de que a taxa de desemprego deve seguir baixa.

Interno: as incertezas políticas devem continuar gerando bastante volatilidade conforme a retomada do julgamento no TSE da chapa Dilma/Temer vai se aproximando. Pesa também as dificuldades da base aliada do governo manter as expectativas de votação das reformas. Ademais, o procurador-geral da República Rodrigo Janot reiterou pedido de prisão do ex-assessor especial do presidente Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures.

Bolsa: queda de petróleo e metais no exterior associado as indefinições no campo da política interna devem pesar sobre as cotações dos papéis negociados no Ibovespa.
Juros: após as altas expressivas dos DIs ontem por conta do discurso mais duro do Banco Central, investidores locais devem buscar alguma acomodação para a estrutura à termo de juros. No entanto, a cena política e dados de emprego dos EUA mais fortes que o esperado podem reverter o movimento
Dólar: ambiente externo pouco mais tranquilo ajuda na perspectiva de que a moeda norte-americana possa recuar ante ao real. A alta da produção industrial brasileira em abril deve reforça o viés de alta do real. Cabe lembrar que os números do mercado de trabalho dos EUA podem supreender e impor pressão de baixa na divisa doméstica. Não menos importante, a crise política interna também segue como fator de risco.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.