Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/05/2017

Brasília, 02 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: maio começa com investidores em tom mais otimista com bolsas e petróleo operando em alta. No entando, permanece as preocupações com os dados de atividade dos EUA, depois que o PIB do 1T17, ISM da indústria e inflação mostraram números aquém do esperado. Para a semana, os agentes monitorarão a decisão de política monetária do Fed (Banco Central dos EUA) e as eleições na França prevista para ocorrer no Domingo dia 7.

Interno: a leitura amena das manifestações da última sexta-feira e ambiente externo melhor no dia ajudam na perspectiva positiva para os ativos financeiros locais. Vale lembrar que as incertezas elevadas com o avanço das reformas ainda estão no radar dos players locais. Na agenda, a pesquisa Focus mostrou novamente redução das perspectivas de inflação para 2017 (4,03%) e 2018 (4,30%).

Bolsa: ambiente externo propenso ao risco diante da sondagem da indústria na Zona do Euro revelar maior patamar em 6 anos e da expectativa de manutenção de mais duas elevações do juro americano são fatores que devem contribuir para a alta do Ibovespa no dia. Internamente, por outro lado, será o contraponto devido as dúvidas quanto ao avanço das reformas.
Juros: a agenda fraca desta terça-feira direciona as atenções dos investidores locais para a possibilidade de votação da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara nos próximos dias. O dólar fraco ante as divisas internacionais e leitura preliminar mais branda, pelo mercado, da greve geral de sexta-feira e as manifestações de 1º de maio tendem a deixar a curva de juros flutuando em bandas estreitas no pregão de hoje.
Dólar: dados mais fracos observados recentemente da economia americana gera perspectiva de que o ritmo de alta dos juros pelo Fed será mantido. Os agentes prevem mais duas elevações para este ano. No front doméstico, os investidores estão cautelosos quanto ao andamento das reformas mesmo com a leitura do mercado de que a greve geral de sexta-feira e as manifestações do 1º de maio foram brandas. Assim, o dólar tende a operar com volatilidade.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.