Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/04/2019

Brasília, 02 de abril de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os dados positivos da manufatura na China e nos Estados Unidos contribuem para aliviar as preocupações com a economia global e por consequência dão viés positivo para alguns ativos financeiros. Na Europa, o drama do Brexit impõe cautela aos investidores internacionais diante do crescente risco de que o Reino Unido deixe a UE sem um acordo que regule suas relações futuras. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities operam em alta, enquanto o dólar oscila frente as moedas externas.

Interno: Indicações de que o governo busca melhorar a articulação junto ao Congresso ao mesmo tempo em que Rodrigo Maia demonstra otimismo com a reforma da Previdência trazem alívio aos investidores domésticos. Contudo, crescem as notícias de mobilização das corporações do funcionalismo público que tentarão barrar as mudanças. Na agenda, o ministro da Economia, Paulo Guedes, recebe parlamentares de quatro legendas: PSD (9h00), DEM (10h00), e do PSL (das 14h00 às 17h00), para iniciar as tratativas em relação a reforma, e a perspectiva de alta da produção industrial serão os destaques.

Bolsa: A alta das bolsa internacionais por conta dos números postivos da manufatura da China e dos EUA e sinalizações de melhora na articulação do governo junto ao Congresso tendem a alavancar o Ibovespa.
Juros: A oscilação do dólar frente as moedas internacionais será contrabalançado com as indicações de melhora nas negociações do governo com o Congresso. Nesse sentido, os vencimentos dos juros futuros de curto e médio prazo (até o fim de 2020) tendem a trabalhar na estabilidade, enquanto as taxas de longo prazo devem subir (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos para prazos superiores a dois anos).
Dólar: Embora o ambiente internacional esteja ligeiramente positivo, a volatilidade do dólar frente as demais moedas pode influenciar os negócios locais. Mesmo com a perceção de melhora no ambiente político doméstico, a perspectiva para hoje é de estabilidade na taxa de câmbio brasileira.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.