Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/02/2018

Brasília, 02 de fevereiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores amanhecem mais nervosos por conta das especulações de que, caso o Federal Reserve (Fed) seja mais agressivo em seu ciclo contracionista, o BoJ pode seguir o movimento, assim como o BCE. Diante disso, o bolsas europeias, futuros de bolsa de Nova York e commodities operam em queda, enquanto o dólar se valoriza ante as moedas internacionais. O pano de fundo desse movimento pode estar atrelado aos níveis recordes no qual se encontram as principais bolsas norte-americanas sugerindo assim alguma manutenção de ajuste dos preços. Dados do mercado de trabalho dos EUA (Payroll) pode reforçar um viés mais duro por parte do Fed.

Interno: os agentes devem monitorar a coletiva de imprensa do ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, que anuncia o decreto de programação orçamentária e financeira de 2018. Diante da situação fiscal ainda delicada tal anúncio será avaliado pelo mercado. Além disso, declarações do presidente Michel Temer de que já fez a parte dele nas reformas e na Previdência passa percepção de insucesso na tentativa de aprovar neste ano a questão previdênciária.

Bolsa: clima externo mais avesso ao risco com queda das bolsas internacionais e especulações de que a reforma da Previdência não irá prosperar, neste ano, tendem a empurrar para baixo o Ibovespa no pregão regular de hoje.
Juros: alta do dólar, preocupações fiscais e sensação de falta de avanço neste ano da reforma da Previdência devem impor alta da curva de juros ao longo de todos os vértices.
Dólar: o fortalecimento do dólar frente as moedas internacionais influenciado pela percepção de que o Fed será mais agressivo na condução da política monetária associado ao clima de falta de apoio para avançar a reforma da Previdência em 2018 tendem a manter o Real depreciado ante a divisa norte-americana.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.