Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/01/2020

Brasília, 2 de janeiro de 2020

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Os mercados começam o ano animados depois do presidente dos EUA, Donald Trump, dizer que pretende assinar o acordo comercial com os chineses no próximo dia 15 deste mês. Ademais, a liberação, pelo PBoC (Banco Central da China), de um montante de 800 bilhões de yuans (US$ 114,8 bilhões) em liquidez, por meio da redução da alíquota de compulsórios bancários, ajudam a ditar o bom humor dos investidores. Por ora, as bolsas europeias, os futuros de bolsas de Nova Iorque e as commoditites sobem, enquanto o dólar cede ante a maioria das moedas emergentes.

Interno: O ambiente externo positivo e melhores perspectivas para a economia brasileira neste ano dão o tom para os ativos financeiros nacionais se valorizarem no dia Na agenda, as projeções de superávit de US$ 46,044 bilhões da balança comercial em 2019, a alta de 0,77% do IPC-S de dezembro e leilão de títulos públicos pré-fixados pelo Tesouro Nacional ajudam a movimentar o negócios domésticos.

Bolsa: O bom humor das bolsas europeias e das bolsas americanas conjugados com as melhores perspectivas para a economia brasileira tendem a impulsionar positivamente o Ibovespa na sessão regular.
Juros: Apesar da melhora do ambiente externo e do recuo do dólar frente ao real (efeito de menor inflação no curto prazo), o otimismo com a atividade nacional para este ano e o leilão de títulos públicos pré-fixados pelo Tesouro Nacional tendem a impor alta dos juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A melhora da confiança dos agentes financeiros internacionais com a perspectiva de assinatura do acordo comercial entre EUA e China neste mês e aumento da expectativas com a economia brasileira para 2020 devem fortalecer o real frente ao dólar no dia.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.