Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 02/01/2019

Brasília, 02 de janeiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: no primeiro pregão do ano investidores internacionais abrem os negócios vendendo ativos financeiros após dado de atividade industrial da China mostrar recuo para 49,7 pontos, pela primeira vez desde maio de 2017, apontando contração da atividade. Lembrando que a marca de 50,0 pontos separa expansão da contração. Na Europa, essa mesma medida de atividade registrou queda para 51,4 pontos, mas ainda no terreno de expansão. Quanto aos EUA, a paralisação parcial do governo segue, enquanto líderes democratas e republicanos se reúnem na Casa Branca para buscar um consenso em torno da verba para construção do muro na fronteira com o México. No momento, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque e commodities caem, ao passo que o dólar ganha valor ante as moedas emergentes.

Interno: investidores locais estarão atentos ao discurso de posse do novo ministro da Economia, Paulo Geudes, que segundo o noticiário adotará a estratégia de anunciar “de dois em dois dias” alguma medida de interesse da população e das empresas. A falta de detalhamentos sobre a reforma da Previdência e quais serão os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado em fevereiro tambem estão no foco das preocupações.

Bolsa: o ambiente internacional negativo e incertezas de como se dará a reforma da Previdência brasileira tendem a prejudicar o Ibovespa no primeiro pregão do ano.
Juros: a alta do dólar frente as divisas emergentes e a falta de clareza sobre o andamento da reforma da Previdência devem impor viés de alta dos juros futuros (aumento, no dia, nos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a conjuntura financeira externa ruim e incertezas na condução do ajuste fiscal mais perene que envolve a reforma da Previdência nacional tendem a impulsionar a depreciação do real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.