Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 01/10/2019

Brasília, 01 de outubro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: O mês começa com feriado nacional na China que deve durar até o dia 7 impondo assim menor liquidez dos mercados financeiros globais. Os analistas seguem apostando no avanço das negociações comerciais entre EUA e China previstos para serem retomadas na próxima semana. Enquanto isso, a Organização Mundial do Comércio (OMC) fez hoje “corte drástico” em sua projeção para o crescimento das transações globais de 2019 para 1,2%, ante a alta de 2,6% anteriormente. Além disso, a fraqueza dos indicadores de atividade e inflação da zona do euro e Alemanha afeta as projeções econômicas do globo. No momento, bolsas europeias recuam em sua maioria, ao passo que os futuros de bolsas de Nova Iorque sobem estimulados pela chance de avanço do acordo comercial sino-americano. Petróleo opera em alta. Já as commodities agrícolas e metálicas caem. O dólar avança ante as moedas internacionais.

Interno: As votações da reforma da Previdência no Senado entram no foco diante dos riscos de eventuais diluições adicionais que impactam a economia fiscal no horizonte de 10 anos. Outro tema que deve ser monitorado refere-se sobre as negociações em torno da divisão dos recursos da cessão onerosa. Na agenda, a previsão de alta de 0,2% da produção industrial de agosto será o destaque.

Bolsa: O desempenho misto das bolsas no exterior deve ser ofuscado pela expectativa de aprovação da reforma da Previdência no Senado. Assim, o Ibovespa tende a subir marginalmente no dia.
Juros: A alta dólar frente as moedas internacionais (gera pressão na inflação no curto prazo) por conta da melhora em relação às negociações comerciais sino-americanas tende a pesar e impor alta da curva de juros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura externa instável deve preponderar sobre a perspectiva de aprovação da reforma da Previdência no Senado. Assim o dólar deve subir marginalmente frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.