Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 01/10/2018

Brasília, 01 de outubro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a notícia de um acordo comercial entre EUA, Canadá e México para substituição do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta) ajuda as bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque a operarem em alta. Por outro lado, o mercado ainda segue preocupado com a questão fiscal italiana. Na semana passada, o governo anunciou uma proposta orçamentária de déficit equivalente a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB). Petróleo opera no azul em meio à queda das exportações de óleo bruto iraniano antes da imposição de sanções americanas à indústria petrolífera do país persa e a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e produtores parceiros de não aumentar a produção em ritmo acelerado.

Interno: a uma semana das eleições gerais, investidores ficam cautelosos diante do fortalecimento da candidatura de Fernando Haddad (PT) e com a possibilidade de um segundo turno entre extremos. Espera-se uma disputa entre o candidato Jair Bolsonaro (PSL) e Haddad no segundo turno. Ademais, a pesquisa Focus realizada pelo Banco Central mostrou novamente alta nas expectativa para o IPCA em 2018 e 2019.

Bolsa: apesar do cenário externo para as bolsas estar positivo, a eleição presidencial no próximo domingo deixa os investidores locais cautelosos. A força das candidaturas de esquerda tendem a influenciar os preços dos papéis que compõem a bolsa paulista. Nesse sentido, espera-se queda do Ibovespa.
Juros: a cinco pregões do primeiro turno das eleições gerais, investidores locais seguem cautelosos com o quadro eleitoral e com as expectativas de IPCA subindo para 2018 (de 4,28% para 4,30% ) e 2019 (de 4,18% para 4,20%). Assim, a tendência é de alta dos juros futuros (implica, no dia, aumento dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a proximidade das eleições gerais deixa os players preocupados e deve influenciar a taxa de câmbio doméstica. A expectativa é de que o real deprecie frente a moeda norte-americana na sessão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.