Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 01/08/2017

Brasília, 01 de agosto de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: indicadores de atividade industrial melhores que o esperado na China, bons números de balanços corporativos na Europa e PMI de manufaturados da Zona do Euro em terreno de expansão ajudam no viés positivo nas principais praças financeiras globais. Ademais, o crescimento de 0,6% QoQ e 2,1% YoY, no segundo trimestre, do PIB da zona do euro reforçam a agenda econômica positiva.

Interno: investidores estarão atentos a ata do Copom referente a reunião da última semana, quando o Banco Central cortou e 1 ponto percentual a Selic, para 9,25%. No momento, o mercado aposta em manutenção do tom suave do comunicado da semana passada, o que sugere a intenção do Banco Central em manter o ritmo de corte de 1pp na reunião de setembro. Na pauta de indicadores, a previsão de queda da Produção Industrial de junho deve ser contrabalançada pela expectativa de superávit da balança comercial de julho. Não menos importante, a cautela com a situação fiscal do governo segue no foco do mercado diante das especulações de revisão da meta.

Bolsa: principais praças acionárias seguem operando no positivo corroborando para um viés de alta da Bovespa. Além disso, a perspectiva de que o juro básico da economia continue caindo reforça a tendência de elevação do mercado acionário local.
Juros: o dólar operando em margens estreitas e perspectiva de que a ata do Copom sinalize manutenção do ritmo de corte de 1pp devem proporcionar queda da estrutura à termo de juros. No entanto, as dúvidas sobre a questão fiscal do governo deve limitar o movimento.
Dolar: dados econômicos melhores na Europa e China e números fracos nos EUA contribuem para depreciação da divisa norte-americana frente as demais moedas externas. Por outro lado, a resistência da cotação cambial doméstica no patamar de R$ 3,11 e as preocupações com a situação fiscal do governo devem provocar volatilidade na paridade real/dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.