Boletim de Fechamento

Fechamento do Mercado – 22/06/2018

Brasília, 22 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O entendimento firmado entre produtores da Organização dos Países Exportadores de Petroleo (Opep) e outros dez de fora do cartel para aumentar a oferta da commodity em cerca de 600 mil barris por dia motivaram a valorização firme dos preços do petróleo e deu forças às ações da Petrobras. No cenário doméstico a liquidez foi reduzida na parte da manhã em virtude di jogo do Brasil contra Costa Rica na Copa da Rússia.

Bolsa: A Bovespa teve um dia de ganhos influenciada pelo avanço dos mercados acionários internacionais e pela valorização de mais de 2,0% dos contratos futuros de petróleo. O comportamento da commodity é responsável por manter os papéis da Petrobras em território positivo, amenizando o efeito da derrotada da estatal ontem na maior ação trabalhista de sua história, com impacto que pode ser de mais de R$ 17 bilhões. O índice encerrou o dia em alta de 0,81%, aos 70.640 pontos.
Juros: Os juros futuros fecharam a sessão regular perto da estabilidade, com um viés de alta na ponta longa, num dia esvaziado de notícias e de liquidez. O mercado já estava fraco no período da manhã, em virtude do jogo do Brasil contra a Costa Rica na Copa da Rússia, e continuou sem tração durante à tarde. O DI Jan/19 terminou em 7,03%, de 7,04% no ajuste anterior. O DI Jan/21 passou de 9,74%, para 9,72%.
Dólar: A moeda americana oscilou ao longo do dia influenciado em baixa pelo petróleo e expectativa de injeção de recursos pelo Banco Central no mercado via swap cambial e, para cima, pela tensão comercial no exterior e o risco Lula. O dólar encerrou o dia em alta de 0,37%, valendo R$3,78.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.